Boa ou má escolha de óculos de sol

Quando compramos uns óculos de sol preocupamo-nos, geralmente, em saber quais são as tendências, como nos ficam na cara e com que roupa combinam.
E, na maior parte das vezes, esquecemo-nos que os óculos de sol servem para proteger os olhos dos raios UV, pois são estes que nos provocam lesões oculares ou até cegueira.
A idade e a atividade diária são as principais preocupações que devemos ter, e só depois nos devemos preocupar com a parte estética.
Como saber quais as melhores lentes para óculos de sol:
- Verdes e Cinzentas: Precisão visual. Filtram a luz e reduzem a luminosidade. Mantêm as cores reais e são indicadas para prática de desportos terrestres, aquáticos e aéreos. Não devem ser utilizadas em dias nublados e/ou com neve. A diferença da cor é meramente estética;
- Castanhas: Aconselhadas para quem tem maior sensibilidade à luz. Aumentam o contraste e reduzem os tons de azul e violeta. Indicadas para média e alta exposição ao sol;
- Amarelas/alaranjadas: Clareiam o ambiente, aumentam a profundidade de campo e o contraste, mas distorcem as cores. São indicadas para atividades praticadas em ambiente pouco luminoso (pesca, caça);
- Azuis: Reduzem a vivacidade das cores, nomeadamente o vermelho. São aconselhadas para média exposição ao sol, como por exemplo o nascer/pôr do sol. Distorcem um pouco as cores e não são aconselhadas para quem tem maior sensibilidade à luz;
- Fotocromáticas: Tornam-se escuras com a incidência da luz, e clareiam quando o ambiente escurece. Uma boa escolha para quem não quer estar sempre a trocar entre óculos de sol e de ver;
- Polarizadas: Reduzem substancialmente os reflexos que vêm de diversos pontos, como água, vidro, metal, entre outros. São mais confortáveis, mas reduzem a nitidez das cores;
Quanto ao material dos óculos, pode escolher entre vidro (mais pesado, mais quebradiço mas risca-se menos) ou acrílicas (mais leves, menos quebradiças mas riscam-se facilmente).